Slider

Postagem em destaque

Idosos do SCFV visitam Retiro São João Batista

A programação de setembro para os idosos, promovida pela Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos de São João da Barra, por meio...

terça-feira, 15 de setembro de 2015

Pudim: Garotinho tem 'doença provocada pela busca insana pelo poder'

Após o presidente estadual do Partido da República (PR), Anthony Garotinho, mais uma vez, comentar sobre a possível perda de mandato do deputado estadual Geraldo Pudim, o racha entre os dois ganhou mais um capítulo de destaque. Na manhã do último sábado (12), Garotinho explicou em seu programa de rádio que Geraldo Pudim será penalizado com a perda do mandato. O motivo seria uma série de condutas contrárias às orientações do PR. Horas depois, o deputado publicou um texto no seu Facebook sobre a postura de Garotinho e o chamou de “juiz de um tribunal particular”.

“Há um sério problema com os políticos que querem se perpetuar no poder indefinidamente: se esquecem dos reais objetivos pelos quais ingressaram na política. Este processo, assim como uma doença, acomete aqueles que, em algum momento, cederam às tentações do poder pelo poder em detrimento da luta pelo bem estar comum. Infelizmente, muito infelizmente, este é o processo pelo qual passa Anthony Garotinho. Um homem que tinha tudo para ser um dos grandes nomes da política nacional, mas que deixa se abater por picuinhas provincianas. Parece um garoto dentro de um Garotinho. Confundiu o teatro que outrora amou com tanto vigor com o peso da realidade. Se um dia para o bem, hoje para o mal, só o vejo como um ator em final de carreira em busca do brilho que já não terá mais”, disse um trecho da publicação feita por Pudim.

Sobre o assunto, o deputado usou a rede social para desabafar, mas ainda não quer se pronunciar na imprensa. A postagem teve mais de 80 curtidas e 39 compartilhamentos. Em outro trecho do texto, Pudim chama Garotinho de juiz.

“Enfim, fui julgado pelo tribunal da inquisição. Eu, por estar há algum tempo em discordância com os rumos que aquele grupo político vinha tomando, resolvi expor ao ‘grande líder’ meus posicionamentos. E, assim, como todos que contrariaram a ‘infalibilidade’ do caudilho, fui alijado, perseguido e agora julgado em seu tribunal particular (...)”.

Em seus comentários na rádio, Garotinho citou ainda que o pastor Éber Silva pode assumir o mandato no lugar de Pudim. Ele afirmou que o pastor pode preparar “o terno e o sapato” para sentar na cadeira na Alerj. Pudim também comentou sobre o caso em sua página no Facebook.

“Neste tribunal particular em seu showmício na Rádio Diário, na tentativa de me intimidar e provocar falsas ilusões nos suplentes, elaborou todo um enredo que se inicia sempre no discurso da traição, para então tentar justificar sua futura tentativa de golpe. Isso não vai acontecer! Discordância de ideia nunca foi motivo para ações de cassação de mandatos. Uma história dessas não passa de embuste, cujo deslinde será tão somente o agravamento de sua desmoralização. Neste tribunal, Garotinho evocou para si os poderes de promotor, Juiz, desembargador do TRE, ministro do TSE e ministro do Supremo Tribunal Federal. Brincou de déspota sem mesmo ter algo que lhe confira poder para tal”, disse em outro trecho.

Pudim, que mantinha parceria com Garotinho por mais de 30 anos, comentou ainda que o presidente estadual do PR não está pronto para uma amizade verdadeira. “Infelizmente Garotinho cultiva um conceito de amigo mais próximo de um amigo imaginário do que de um amigo real, aquele que cobra e fala as duras verdades que precisam ser ditas. Garotinho não merece amigos reais, pois não está preparado para o desafio de uma amizade verdadeira”.

No final da publicação, Pudim chama Garotinho de doente. “Espero em Deus, pois já não me restam forças para tal, que te cure da doença provocada pela busca insana pelo poder”.

Além do texto, Pudim não voltou a comentar sobre o caso. Mas, sabe-se que o político já está de malas prontas para o PMDB - o que deve acontecer nos próximos dias.

Jornal Terceira Via

0 comentários: